Olha ai pessoal um assunto que é bem interessante. Vivemos no século XXI, e as relações interpessoais estão se estreitando cada vez mais, com a velocidade da tecnologia, fluxos de informações, e população habitacional super inflamada. Ahhh, já se passaram aqueles tempos, – diga-se de passagem, ainda bem -, em que as mulheres já tinham seus pretendentes antes mesmo de completar seus 18 anos.

Época na qual, as relações matrimoniais, valiam status, tinham como objetivo perpetuar o nome da família e as suas origens, tempos em que o casamento era realmente uma relação de negócio onde tinham os dotes que eram discutidos. Pensem ai meninas, se ainda fosse assim nos dias de hoje #SQN né?! coitadas de nossas avós em kkk

Se for parar pra pensar no assunto é bem legal, as pessoas se conhecem de várias formas diferentes, no ônibus, na fila, na faculdade, nas festas, e etc.

Na minha família tem um caso curioso, minha avó conheceu meu falecido avô (que Deus o tenha) em um baile. E por meio do meu avô a irmã da minha avó, foi apresentada ao irmão do meu avô. KKKKKKKK PERAÍ EMBOLOU TUDO NÉ?

Sim, é isso mesmo duas irmãs conheceram, outros dois irmãos. E, sim isso deu certo e é um dos motivos nos quais estou aqui, pois minha vó com vô gerou minha mãe, que junto ao meu pai e me gerou, e cá estou para lhes contar como conheci minha princesa gatíssima.

A Polly e Eu como somos antenados e modernos nos conhecemos por meio da internet TCHARAMM! Mas, não foi no chat da uol, nem no orkut, nem no facebook, tampouco por acaso. Em meados de 2013 começou a bombar um tal de aplicativo de relacionamento, chamado TINDER. E, antes que se perguntem, já antecipo a resposta, SIM, nos conhecemos dessa forma kkk. Para quem não conheceu, em síntese o aplicativo é como se fosse um catalogo de pessoas, ele usa seus dados do facebook, como fotos, interesses, e usa também a geolocalização do celular. Dessa maneira ele pre-seleciona pessoas que em tese pode ter o mesmo interesse em comum. Você pode aprovar ou desaprovar a pessoa, em caso de você aprovar a pessoa, e está também aprova-lo abre uma janela no aplicativo em que é possível conversar a dois. Se não ocorrer esse aprovação mútua não é possível interagir com as outras pessoas. É, “uma mão na roda” para pessoas tímidas como eu, porque pelo menos na teoria você já sabe que a pessoa foi com sua cara.

Depois de papearmos bastante e por alguns dias, resolvemos nos encontrar. Daí, papo vai papo vem, ficamos, nos curtimos, nos apaixonamos, e nos amamos. E, hoje somos eternos apaixonados e amantes um do outro.

E aí, como foi que você conheceu seu parceiro(a)? conta pra gente como foi, manda um email ou fale nos comentários, se quiser publicamos aqui a sua história de amor.