Tag: relacionamento

Os 10 mandamentos da boa convivência

A física prova que dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço. Mas há controversias, morar junto é exatamente o contraposto dessa teoria.

Sempre ouvi dizerem: “ahh namorar é ótimo, mil maravilhas e blá blá, mas vai morar junto pra ver”, “Qro ver quando morar junto, ai deixa de virar príncipe e vira um cavalo” entre outras coisas. Seremos sinceros, depende muito de cada um, porque com nós dois não mudou absolutamente nada para pior, e sim só para melhor. Nossa cumplicidade aumentou, diminuiu muito nossas briguinhas bestas, ficamos muito mais amigos e mais próximos.

É claro com o convívio você vai realmente conhecendo melhor a pessoa, e descobrindo os limites do outro. E algumas manias, e defeitos acabam se tornando um pouco mais evidentes, mas tudo vai depender do respeito e compreensão para com o outro. Então lá vai os 10 mandamentos da boa convivência:post

Como nos conhecemos ♥

2

Olha ai pessoal um assunto que é bem interessante. Vivemos no século XXI, e as relações interpessoais estão se estreitando cada vez mais, com a velocidade da tecnologia, fluxos de informações, e população habitacional super inflamada. Ahhh, já se passaram aqueles tempos, – diga-se de passagem, ainda bem -, em que as mulheres já tinham seus pretendentes antes mesmo de completar seus 18 anos.

Época na qual, as relações matrimoniais, valiam status, tinham como objetivo perpetuar o nome da família e as suas origens, tempos em que o casamento era realmente uma relação de negócio onde tinham os dotes que eram discutidos. Pensem ai meninas, se ainda fosse assim nos dias de hoje #SQN né?! coitadas de nossas avós em kkk

Se for parar pra pensar no assunto é bem legal, as pessoas se conhecem de várias formas diferentes, no ônibus, na fila, na faculdade, nas festas, e etc.

Na minha família tem um caso curioso, minha avó conheceu meu falecido avô (que Deus o tenha) em um baile. E por meio do meu avô a irmã da minha avó, foi apresentada ao irmão do meu avô. KKKKKKKK PERAÍ EMBOLOU TUDO NÉ?

Sim, é isso mesmo duas irmãs conheceram, outros dois irmãos. E, sim isso deu certo e é um dos motivos nos quais estou aqui, pois minha vó com vô gerou minha mãe, que junto ao meu pai e me gerou, e cá estou para lhes contar como conheci minha princesa gatíssima.

A Polly e Eu como somos antenados e modernos nos conhecemos por meio da internet TCHARAMM! Mas, não foi no chat da uol, nem no orkut, nem no facebook, tampouco por acaso. Em meados de 2013 começou a bombar um tal de aplicativo de relacionamento, chamado TINDER. E, antes que se perguntem, já antecipo a resposta, SIM, nos conhecemos dessa forma kkk. Para quem não conheceu, em síntese o aplicativo é como se fosse um catalogo de pessoas, ele usa seus dados do facebook, como fotos, interesses, e usa também a geolocalização do celular. Dessa maneira ele pre-seleciona pessoas que em tese pode ter o mesmo interesse em comum. Você pode aprovar ou desaprovar a pessoa, em caso de você aprovar a pessoa, e está também aprova-lo abre uma janela no aplicativo em que é possível conversar a dois. Se não ocorrer esse aprovação mútua não é possível interagir com as outras pessoas. É, “uma mão na roda” para pessoas tímidas como eu, porque pelo menos na teoria você já sabe que a pessoa foi com sua cara.

Depois de papearmos bastante e por alguns dias, resolvemos nos encontrar. Daí, papo vai papo vem, ficamos, nos curtimos, nos apaixonamos, e nos amamos. E, hoje somos eternos apaixonados e amantes um do outro.

E aí, como foi que você conheceu seu parceiro(a)? conta pra gente como foi, manda um email ou fale nos comentários, se quiser publicamos aqui a sua história de amor.

Livro | Casamento Blindado

IMG_0084Em um sábado qualquer fazendo as coisas de casa, a Pollyanna e Eu estavamos assistindo tv e começou aquele programa Escola do Amor com Renato e Cristiane Cardoso que passa na record.

Já havíamos assistido algumas vezes sem muito compromisso, mas nesse dia paramos e prestamos melhor atenção no conteudo do programa. Depois de assistirmos algo me tocou, e falei para a Pollyanna que ia comprar o livro, ela prontamente achou muito interessante a ideia. Os relatos dos casais e as experiências são bem legais de serem ouvidas e se tornam uma lição aprender com as experiências alheias.

Um relacionamento não vem com manual de instrução, e também não tem como conduzi-lo como se faz com um livro de receita que tem o passo a passo. Em um relacionamento, você vai aprendendo dia a dia com seu companheiro(a), vai enxergando seus defeitos e também suas qualidades, conhecendo até onde vai o limite do próximo. Vão construindo tudo dia após dia. E, como uma casa precisa de uma base, precisa ter alicercers para que seja firme e duradouro.

Muita coisa não precisa falar, nem tá escrito em lugar algum para saber, basta usar a sensatez, no entanto muitas outras coisas é válido tomar conhecimento por meio de quem já passou em sua própria vida.
Ao ler o livro junto de seu companheiro(a) abre uma oportunidade maravilhosa de diálogo e, conhecer um pouquinho mais sobre parceiro(a) sobre assuntos que às vezes passa batido no seu dia a dia, o modo de pensar, a maneira de agir.

IMG_0096

A Polly como eu temos muitas semelhanças, porém também temos muitas diferenças, e aí meu amigo, é nessa parte que se não tiver jogo de cintura, e um não souber respeitar ao outro, compreender, e tolerar é que as coisas podem começar a desandar.
Acreditamos fielmente em Deus e no amor que nos une, mas tudo, tudo na vida tem os bons momentos e os ruins. E, tudo que puder ajudar é muito aceito.
E, como nos amamos muito estamos no começo da leitura desse livro que é espetacular e estamos aprendendo pouco a pouco, dia após dias, capítulo após capítulo a blindar nosso relacionamento, assim como dizem os saudosos Renato e Cristiane em seu livro.

O livro é um best seller com muitos exemplares vendidos, encontra-se em qualquer livraria pelo país. Fica ai nossa recomendação!